Alunos da Escola Helena Magalhães têm noções de primeiros socorros

Exercícios práticos para ensinar noções de primeiros socorros, apresentados por integrante do Corpo de Bombeiros, marcaram nesta quarta-feira (17/05), mais uma atividade do Projeto Defesa Civil nas Escolas (PDCE).

A iniciativa, realizada na Escola Municipal Helena Magalhães, em São Caetano, integra o programa de ações sociais e educativas da Defesa Civil de Salvador (Codesal). A atividade reuniu 55 alunos que foram divididos em duas turmas para melhor aproveitamento.

O PDCE visa estimular os jovens a disseminarem informações preventivas contra desastres naturais. Salvador é uma cidade com muitas áreas de risco e os alunos da rede municipal de ensino podem atuar como multiplicadores de medidas utilizadas para evitar acidentes em sua comunidade.

 

 

 

Os primeiros socorros são procedimentos de emergência que devem ser aplicados a vítimas de acidentes, mal súbito ou em perigo de vida, com o intuito de manter sinais vitais, procurando evitar o agravamento do quadro no qual a pessoa se encontra até que o Samu esteja no local para prestar uma assistência mais minuciosa e definitiva.

Aprenda mais no infográfico abaixo:

 

Perfil: Cristiana Marback Rego – Kitty

Formada em Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia em 1984, Cristiana Marback Rego, mais conhecida por Kitty entre seus colegas na Defesa Civil, completou uma década de atuação no órgão ano passado. Inicialmente, não chegou a exercer a profissão, pois foi morar em Belém do Pará logo após casar-se: “lá trabalhei por um ano e oito meses no Banco do Estado do Pará no setor de engenharia”, lembra.

Após a temporada paraense, ela retorna à Salvador onde passa a atuar como autônoma em decoração de interiores, uma das paixões de Kitty, além da família. A experiência de alguns anos no setor, contudo, seria interrompida em 2006, quando foi chamada em concurso promovido pela Prefeitura de Salvador em 2002. “Fiquei surpresa, pois não esperava mais ser chamada”, revela Kitty. Quando ingressou na Codesal, o órgão era ligado à Secretaria de Habitação (SEHAB).


“Tentamos fazer o que está ao nosso alcance”

Inicialmente atuou na Subcoordenadoria de Planejamento, no Setor de Estudos e Projetos, do qual assumiu a chefia em 2008. Entre as funções exercidas, elaborava planos, programas e projetos de defesa civil de caráter preventivo. Também colaborou na organização da Conferência Municipal de Proteção e Defesa Civil, na qual participam vários segmentos da sociedade para a elaboração de políticas públicas relacionadas à proteção e defesa civil. Algum tempo depois, o antigo setor de Estudos e Projetos foi transformado no Setor de Análise e Planejamento ligado à Subcoordenadoria de Gestão da Informação e Preparação aos Desastres.

“Quando cheguei na Codesal, pouco conhecia sobre as atividades da Defesa Civil. Passei a vivenciar o dia-a-dia do órgão e o importante trabalho desenvolvido por seus técnicos junto à população carente e que vive em áreas de risco. Fico comovida vendo o sofrimento dessas pessoas que nos procuram e tentamos fazer o que está a nosso alcance”, revela.

A partir de 2016, com a reestruturação da Defesa Civil de Salvador, ela passou a chefiar o Setor de Acompanhamento das Ações de Redução de Risco, núcleo ligado à Coordenadoria de Ações de Prevenção e Redução de Riscos. O objetivo, explica, é fazer a interlocução da Codesal como os órgãos do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC) responsáveis pela realização das ações de redução de risco, além de acompanhar e registrar essas intervenções de caráter preventivo.

Envolvida nas rotinas de seu trabalho na Defesa Civil, Kitty conta que não mais teve tempo para se dedicar ao que mais gosta na Arquitetura, a decoração de ambientes, falta que compensa nos períodos de férias quando costuma viajar para, entre outras coisas, conhecer importantes sítios arquitetônicos.

Ao falar sobre suas expectativas profissionais, ela diz que “espera que os projetos da atual gestão municipal destinados a implementar a qualidade de vida em Salvador sejam coroados de êxito e, em particular, os desenvolvidos pela Defesa Civil”.

Site do Carnaval 2017 já está no ar

Já está no ar o site Curta Carnaval (curtacarnaval.com.br) com todas as atualizações da maior festa popular do planeta. Através dessa ferramenta, internauta acompanha as matérias com as novidades sobre a Folia Momesca e a montagem da estrutura que está em fase de finalização.

Há ainda curiosidades sobre a história da festa e até um horóscopo para foliões, sucesso nas redes sociais. Entre os serviços estão informações sobre pontos de táxi e de ônibus, mapas dos circuitos, programação infantil, entre outros itens. Curta e acompanhe todo o material do Carnaval com as hastags #CurtaCarnaval e #CurtaCarnaval2017.

Somos a Codesal: Márcia  Matos Santos

“Amo meu serviço”

Até chegar na Codesal há cinco anos, a auxiliar de serviços gerais Márcia Matos Santos costumava trabalhar em casas de família quando tomou gosto pelo serviço de limpeza e conservação dos utensílios domésticos, além das funções de babá. Na Defesa Civil, ela é conhecida pelo esmero com que se dedica ao asseio dos mais diversos setores do órgão.

“É um trabalho que faço com gosto, amo meu serviço. Quero ver as mesas e o chão limpos de verdade”, conta.

Diariamente, por volta das 7 horas da manhã, Márcia é vista com as ferramentas de trabalho usadas em serviço de limpeza, lavando o piso, passando álcool nas mesas e dando uma geral nos banheiros, trabalho que divide com mais dois colegas. Nascida no município de Mundo Novo, ela lembra que, certa feita, foi sondada a assumir o serviço da copa, convite que de imediato rejeitou. “Pelo amor de Deus, me deixa aqui mesmo, quero me empenhar nesse serviço”, conta.

No trabalho ela costuma reduzir o estresse ouvindo música romântica no radinho FM do celular. “Fico muito irritada com o retrabalho na limpeza, pois há pessoas que jogam papel e café no chão, pra não falar dos banheiros. Não digo que não vou refazer, mas poderia ser evitado”.

Por falta de oportunidade em sua cidade natal, Márcia só conseguiu iniciar os estudos aos 16 anos, quando veio para Salvador, conseguindo chegar à 4ªsérie do ensino fundamental. Ao falar sobre suas expectativas para 2017, ele diz que “meu sonho é comprar minha casa, ter um filho e tocar a vida como estou”.

Memória da Defesa Civil: certificação Bom Juá

Entre os vídeos produzidos para serem apresentados nas certificações de voluntários dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (NUPDECs) destacamos esta semana o da comunidade de Marotinho em Bom Juá, realizada na sedo do IPS,
em 10/06/2016. Esses vídeos têm tido ampla aceitação dos participantes que se sentem recompensados e valorizados como protagonistas das ações da Defesa Civil.

O vídeo também pode ser visto no YouTube, canal Codesal Imprensa.

 

Somos a Codesal: Matheus Silva Fioravanti

Formação: Engenheiro Civil, cursando pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho.

Cargo na Defesa Civil – subcoordenador de Áreas de Risco

Área de atuação – Chefia a Subcoordenação de Áreas de Risco (SUARI) que está vinculada à Coordenadoria de Ações de Prevenção e Redução de Risco (COAR), atuando no campo da prevenção. Responde a três setores: o de Vistorias, de Monitoramento de Áreas de Encostas e de Monitoramento de Áreas Alagáveis todos também voltadas também à prevenção.

Como funciona – O setor funciona a partir da demanda do solicitante que liga para o 199 ou vem presencialmente à Codesal, solicitando vistoria, processo que é gerado no sistema do órgão. Engenheiros vão a campo e procedem a vistorias. Pode ser deslizamento de terra, ameaça de desabamento, alagamento ou uma simples orientação técnica, entre outros. Após se certificar do que ocorre, o engenheiro dá um parecer técnico, podendo encaminhar o problema para o órgão parceiros do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil.

Resultados em 2016 – A Codesal evoluiu muito, avalia Matheus. A inclusão do Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), que realiza trabalho preventivo na antecipação da ocorrência de possíveis chuvas, a atuação das consultorias do IPT e da UFBA, desenvolvendo o plano preventivo de defesa civil ou o Programa Municipal de Redução de Risco, se somaram de forma eficaz. Também, afirma o gestor, foi importante o trabalho desenvolvido pela Subcoordenação de Ações Comunitárias e Educativas com os simulados e a parte educacional das comunidades que deve atuar como nossos parceiros.

 

 

Confraternização de final de ano reúne funcionários

Um almoço que incluiu no cardápio muita animação, disposição e alegria marcou, na quarta-feira (21/12), a confraternização de final de ano dos funcionários lotados na Subcoordenação de Ações Educativas e Comunitárias (SUCED) da Codesal.

Presente ao encontro, a subcoordenadora da SUCED, Rita Moraes, agradeceu “o empenho da equipe que possibilitou o sucesso das atividades desenvolvidas nas áreas de risco da capital baiana ao longo do ano”, destacando que este comprometimento seja fortalecido em 2017.

“A tendência é a Defesa Civil se fortalecer cada vez mais”

ENTREVISTA

Alvaro Silveira Filho – diretor geral da Codesal

Empossado diretor geral da Defesa Civil de Salvador em 20 de fevereiro de 2013, Alvaro da Silveira Filho conduziu o período de modernização do órgão que passou a investir, com o apoio da administração do prefeito ACM Neto, na atualização de suas atividades com foco em ações preventivas nas áreas de risco da capital baiana. Nesta entrevista, ele fala sobre os principais avanços implementados na reestruturação da Defesa Civil, embasada na missão de salvar vidas. Segundo o diretor-geral, a tendência é a Codesal se fortalecer mais ainda nos próximos quatro anos.

Qual a importância da Defesa Civil?

Eu considero que a maior importância da Defesa Civil para a cidade de Salvador é o critério de salvar vidas. A prevenção é hoje o item primordial em nossas ações que têm sido focadas justamente na importância de se salvar vidas. Não se pode mais aceitar que se morram pessoas que estejam morando em áreas de risco. Neste sentido, a prevenção tem nos ajudado muito.

Quais os principais avanços na reestruturação da Codesal?

A Codesal já existe há mais de trinta anos. Posso dizer, sem medo de errar, que a Defesa Civil de Salvador é uma antes da gestão do prefeito ACM Neto e se tornou outra Defesa Civil após a gestão do prefeito ACM Neto. Até porque é público e notório os avanços que houveram. Não apenas para o servidores como também para a população. Tivemos a instalação do Sistema de Alerta e Alarme, a instalação de pluviômetros automáticos, que hoje já abrangem quase toda a cidade, a convocação através de Reda de profissionais que não tínhamos na Defesa Civil. Chegaram estagiários já com uma melhor experiência, melhor remuneração, convênios com a Universidade Federal da Bahia e com o Instituto de Pesquisa Tecnológica de São Paulo que hoje estão agregando experiências vindas de outras capitais no Brasil no sentido de estar aperfeiçoando e modernizando cada vez mais a Codesal. Também passamos a utilizar tablets por parte de nossos engenheiros que fazem vistoria em campo e a enviar mensagens por SMS para pessoas que residem em áreas de risco. Isso tudo são melhorias que vieram e que há 30 anos não tínhamos aqui. Quando eu cheguei na Defesa Civil, esperávamos acontecer o acidente para podermos dar uma resposta. Por isso faço questão de repetir: o foco na prevenção hoje é a grande demanda que nós temos.

*-*-*-*

“Isso são melhorias que vieram e que há 30 anos não tínhamos aqui. Esperávamos acontecer pura e simplesmente o acidente para podermos dar uma resposta. Por isso faço questão de repetir: o foco na prevenção hoje é a grande demanda que nós temos”

*-*-*-*

Como o Centro de Monitoramento e Alerta, implantado este ano, poderá contribuir na redução de desastres?

O Centro de Monitoramento vai nos ajudar que nos períodos de chuva nos antecipemos de um possível acidente, pelo menos nas áreas onde temos o sistema de alerta e alarme instalados. Estamos hoje em vários locais da cidade com as sirenes e pluviômetros automáticos instalados e onde já ocorreram os simulados. Dessa forma podemos antecipar com nossos técnicos meteorologistas – temos dois – e eles já fazem uma análise – pelo menos com uma maior precisão de três dias antes de vir ocorrer uma chuva mais intensa, o que já nos permite acionar o sistema de voz nessas áreas avisando a população. Volto a repetir que queremos sair do foco de resposta e entrar justamente na prevenção, salvando vidas.

No âmbito da nova Codesal a prevenção de desastres ganhou relevo. Como o senhor avalia as ações preventivas, a exemplo dos simulados, formação de NUPDECs, instalação de geomantas, entre outras?

Temos os NUPDECs, a preparação do voluntariado, a capacitação inclusive dos nossos profissionais. A formação dos NUPDECs e a preparação de voluntários nas áreas de risco é fundamental, pois o morador dessas áreas muitas vezes não tem consciência do risco que sofre. Por isso este trabalho com base na prevenção. Estamos cada vez mais formando grupos nestas áreas para trazer uma maior percepção do risco.

Quais os desafios ainda a serem enfrentados no contexto de uma cidade topograficamente acidentada como Salvador?

O trabalho agora é de continuidade. Não podemos parar. Instalamos pluviômetros, sirenes, fizemos as preparações de núcleos e não podemos simplesmente achar que isso já está bom. É um trabalho contínuo. A Defesa Civil entrou em uma nova era na qual não pode parar ou retroceder. Espero que continuemos com este esforço.

*-*-*-*

“A Defesa Civil entrou em uma nova era na qual não pode parar ou retroceder. Espero que continuemos com este esforço”

*-*-*-*

Que balanço o senhor faz de sua gestão neste primeiro mandato do prefeito ACM Neto?

Fizemos um esforço conjunto ao lado do nosso corpo técnico,  da sensibilidade do prefeito ACM Neto, o gestor maior, junto com outros técnicos de outras áreas da Prefeitura, que nos auxiliaram a promover esta modernização. Posso dizer que a Defesa Civil hoje está moderna graças ao esforço de um conjunto de pessoas que decidiu promover esta modernização. Tivemos a ajuda da Casa Civil, de consultores externos, do próprio gabinete do prefeito, da Cogel – a empresa de tecnologia da Prefeitura – todo um conjunto de pessoas. Faço questão de falar que a Defesa Civil antes desta gestão era uma coisa. Após, é outra. A tendencia dela é crescer mais ainda nesta parte de prevenção e modernização. A tendência é a Defesa Civil se fortalecer cada vez mais e isso vai ocorrer nos próximos quatro anos.

*-*-*-*

”  A tendência é a Defesa Civil se fortalecer cada vez mais e isso vai ocorrer nos próximos quatro anos.”

*-*-*-*

 

Galeria de fotos: bombeiros e certificação na Baixa do Cacau

Vinte e quatro novos voluntários receberam a certificação da Defesa Civil (Codesal) , dia 20/12) para atuarem nas comunidades de Baixa do Cacau (Subúrbio Ferroviário) de modo a evitar ou minimizar os estragos ocasionados pela chuva.

A atividade foi antecedida por palestra apresentada pelo Corpo de Bombeiros sobre primeiros socorros.

A assistente social Nádia Rangel, que conduziu as atividades de instalação do NUPDEC na localidade, destacou o interesse e participação do grupo ao longo do curso de capacitação.

dsc_0079dsc_0007dsc_0019dsc_0022dsc_0032dsc_0051dsc_0057dsc_0095dsc_0096dsc_0097dsc_0098dsc_0099dsc_0100dsc_0101dsc_0102dsc_0103dsc_0105dsc_0106dsc_0107dsc_0108dsc_0109dsc_0110dsc_0111dsc_0113dsc_0119