Ação educativa alerta sobre o risco das zoonoses na Baixa do Cacau

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) promoveu na tarde desta terça-feira (20/06) uma feira de zoonoses na comunidade da Baixa do Cacau (São Caetano). A ação educativa em saúde foi desenvolvida por meio de diálogo interativo, nos moldes de palestra, e distribuição de informativos.

Atividade visa fortalecer os vínculos da Defesa Civil com a comunidade de Baixa do Cacau

“A atividade tem como objetivo estreitar os vínculos da Codesal com a comunidade além de conscientizar sobre a importância de se conhecer as formas de contágio e prevenção de zoonoses”, explica a assistente social da Codesal, Nádia Rangel, que coordenou  o evento.

Na oportunidade, técnicos da CCZ apresentaram as principais zoonoses, como a toxoplasmose, a raiva, a leptospirose, dengue, zika, entre outras, além de exemplos práticos para alertar sobre o risco de se jogar lixo em locais inadequados e descartar objetos que possam acumular água.

Considerando que as zoonoses parasitárias afetam os seres humanos e são transmitidas principalmente por animais domésticos, como cães e gatos; o conhecimento sobre estas doenças se torna essencial sob o ponto de vista de saúde pública.

Uma das recomendações preventivas é levar animais domésticos periodicamente ao veterinário com o objetivo de checar a existência de zoonoses e leva-los ao CCZ para tomar as vacinas necessárias.

MEMÓRIA

Encerrando os módulos de instalação do Núcleo de Proteção e Defesa Civil (Nupdec) na localidade, no dia 20 de dezembro do ano passado, 24 novos voluntários receberam a certificação da Codesal.

O núcleo tem o objetivo de mobilizar comunidades que vivem em áreas de risco a atuarem de modo a evitar ou minimizar os estragos ocasionados pela chuva. Nádia Rangel, que conduziu as atividades de instalação do Nupdec na localidade, destacou o empenho e o interesse do grupo ao longo do curso de capacitação.

Baixa do Cacau tem Feira de Zoonose

No último dia 14/06 equipe da Defesa Civil de Salvador esteve em Baixa do Cacau/São Caetano mobilizando a comunidade para Feira de Zoonose que acontecerá nesta terça-feira, dia 20/06, na localidade. Não deixem de participar!

Equipe da Defesa Civil mobiliza comunidade na Baixa do Cacau

Palestra aborda prevenção do AVC em Vila Mar

Conhecer os sinais de um AVC (acidente vascular cerebral), ou também conhecido como derrame, é o primeiro passo para a sua prevenção. Este foi um dos temas da atividade de educação em saúde apresentada, dia 12/06, na comunidade de Vila Mar (Estrada Velha do Aeroporto) por técnicos da Codesal em parceira com a Universidade Federal da Bahia.

O AVC ocorre quando o fluxo sanguíneo para uma área do cérebro é interrompido – pelo rompimento ou interrupção dos vasos sanguíneos. As células cerebrais, privadas de oxigênio e glicose necessária para sobreviver, podem morrer, explicou a enfermeira e professora da Faculdade de Enfermagem da Ufba,  Marcia Carneiro.

Ela alertou aos participantes de que se um acidente vascular cerebral não for descoberto cedo, poderá resultar em danos cerebrais permanentes, incapacitação ou até mesmo em óbito.

A iniciativa de educação em saúde da Codesal/UFBA busca estreitar os vínculos da Defesa Civil de Salvador com as comunidades onde já se formaram os Núcleo de Proteção e Defesa Civil (NUPDEC).

As atividades foram conduzidas pela assistente social Juçara Pereira, da Subcoordenação de Ações Comunitárias e Educativas.

Veja fotos da atividade:

Planalto Real II tem atividade de educação em saúde

Participantes das atividades realizadas na últimas segunda-feira(05/06) em Planalto Real II

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) realizou na segunda-feira (05/06) em Planalto Real II (Plataforma) mais uma atividade de educação em saúde em parceria com a Universidade Federal da Bahia.

A iniciativa busca estreitar os vínculos da Codesal com as comunidades onde já se formaram os Núcleo de Proteção e Defesa Civil (NUPDEC).

As atividades foram conduzidas pela assistente social Juçara Pereira e pela enfermeira e professora da Ufba, Marcia Carneiro.

Além da identificação de doenças crônicas como diabetes e hipertensão, o trabalho nas

A enfermeira Marcia Carneiro testa o índice glicêmico de um dos participantes

comunidades permite ao profissional de saúde conhecer as realidades e potencialidades do meio, o que facilita o trabalho no campo da educação em saúde, define a especialista.

CERTIFICAÇÃO

A certificação de 41 voluntários em Planalto Real, Plataforma, foi realizada no dia 25 de outubro do ano passado quando foi realizada confraternização que marcou o encerramento da instalação do NUPDEC.

O NUPDEC visa preparar os moradores para reduzir os riscos na área onde vivem de modo a atuar em atividades de prevenção, socorro e assistência em situações de desastres.

As ações foram preparadas pelo setor de Gestão de Núcleos Comunitários e Voluntariados da Codesal.

A assistente social, Juçara Pereira, que também coordenou o processo de formação do núcleo, agradeceu o empenho da comunidade.

Veja mais fotos da atividade:

Simulado mobiliza alunos da Escola Helena Magalhães

Bombeiros e técnicos da Codesal participaram do simulado de evacuação

O alarme soou por volta das 10 horas, desta terça-feira (06/06), dando início ao simulado de evacuação na Escola Municipal Helena Magalhães, em Boa Vista de São Caetano. Conduzidos pelos professores, os alunos deixaram ordeiramente as salas de aula em direção ao saguão principal de entrada seguindo orientação recebida anteriormente pelos Bombeiros.

O treino, que reuniu 208 alunos e foi coordenado por técnicos da Defesa Civil de Salvador e por membros do Corpo de Bombeiros, serviu para consolidar o que eles aprenderam desde o início de maio com os módulos do Programa de Defesa Civil nas Escolas (PDCE) da Codesal.

Alunos se dirigiram ao ponto de encontro, no saguão de entrada da escola, após deixarem as salas de aula

Quando chegaram na área de acesso à escola, os alunos se reuniram em filas divididas por turma à espera da indicação do que havia ocorrido para justificar a evacuação. “A nossa avaliação é que o simulado se deu com sucesso. Vocês procederam corretamente, saindo com calma das salas de aula em direção ao ponto de encontro”, disse o subtenente Limoeiro, do Corpo de Bombeiro, que foi auxiliado pelos subtenentes Luiz Cláudio e Fábio na operação.

Em seguida, apresentou a avaliação do que havia ocorrido para justificar a evacuação: “Foram feitas a verificação das instalações e os técnicos da Defesa Civil constataram que foi um incidente. Todos podem voltar para a sala de aula”.

Aluno cadeirante é acompanhado pela subcoordenadora Kelly Morais

CAPACITAÇÃO DO PDCE

“As atividades do PDCE buscam capacitar os alunos das escolas da rede municipal de ensino, localizada em área de risco da capital, com noções básicas de defesa civil, acidentes domésticos, primeiros socorros e percepção de risco, buscando com isso que se tornem multiplicadores desses conhecimentos e contribuam para preservar vidas”, explica a subcoordenadora de Ações Comunitárias e Educativas, Kelly Morais.

“Os alunos se sentiram bastante estimulados com as atividades do PDCE, em especial com a parte lúdica. A entrega das medalhas no dia da revisão incentivaram os meninos”, avalia, por seu turno, a vice-diretora Jeane Bandeira para quem a atividade do simulado “se mostrou bastante positiva. Os jovens adoraram a parte prática apresentada pelos bombeiros”.

Aluno do 6º ano, Cauã, 14 anos, revela que teve oportunidade aprender com os módulos do PDCE “como se comportar diante de situações de emergências e como se deslocar de maneira segura e ordeira”.

“Aprendi como devo me comportar em situações de queimaduras, hemorragias e engasgamentos. Mas o mais importante foi aprender a agir no momento em que o alarme de emergência é acionado”, conta Taita, 17 anos, estudante do 9º ano.

No turno da tarde, mais 180 alunos participariam do segundo simulado do dia. Os próximos simulados previstos pela Codesal ocorrem nas seguintes unidades de ensino: Escola Hildete Bahia (Pernambués), dia 09/06, e Escola Ernesto Mourão de Sá (Paripe), dia 13/06.

Equipe da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiro que participou do simulado

Escolas têm revisão do PDCE

REVISÃO DO PDCE – Revisão dos módulos do Projeto de Defesa Civil nas Escolas (PDCE) movimenta os estudantes da Escola Municipal Ernesto Mourão de Sá (foto acima), em Paripe, dia 29/05, e da Escola Municipal Helena Magalhães, São Caetano (foto abaixo), dia 31.05. Os alunos que fizeram mais pontos na arguição ganham medalhas.

Alunos da Escola Helena Magalhães têm noções de primeiros socorros

Exercícios práticos para ensinar noções de primeiros socorros, apresentados por integrante do Corpo de Bombeiros, marcaram nesta quarta-feira (17/05), mais uma atividade do Projeto Defesa Civil nas Escolas (PDCE).

A iniciativa, realizada na Escola Municipal Helena Magalhães, em São Caetano, integra o programa de ações sociais e educativas da Defesa Civil de Salvador (Codesal). A atividade reuniu 55 alunos que foram divididos em duas turmas para melhor aproveitamento.

O PDCE visa estimular os jovens a disseminarem informações preventivas contra desastres naturais. Salvador é uma cidade com muitas áreas de risco e os alunos da rede municipal de ensino podem atuar como multiplicadores de medidas utilizadas para evitar acidentes em sua comunidade.

 

 

 

Os primeiros socorros são procedimentos de emergência que devem ser aplicados a vítimas de acidentes, mal súbito ou em perigo de vida, com o intuito de manter sinais vitais, procurando evitar o agravamento do quadro no qual a pessoa se encontra até que o Samu esteja no local para prestar uma assistência mais minuciosa e definitiva.

Aprenda mais no infográfico abaixo:

 

Moradores de Jardim Cajazeira recebem títulos de posse

Moradores do bairro de Jardim Cajazeiras foram contemplados dia 06/05 com a entrega de 551 títulos de posse de terreno do programa Casa Legal, lançado pela Prefeitura em 2013 e que já beneficiou 31 mil famílias. A solenidade conduzida pelo prefeito ACM Neto aconteceu  na praça requalificada recentemente no fim de linha da localidade, na Rua Luciano Gomes. Também estiveram presentes o vice-prefeito Bruno Reis e o secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, Almir Melo.

“O Casa Legal deu tão certo que, assim como o Morar Melhor, programa lançado por nós que reforma a casa de famílias carentes na cidade, tem sido copiado pelo governo federal e por outros municípios. É um projeto que dá cidadania, dignidade e segurança às pessoas, que muitas vezes construíram suas histórias em imóveis sem ter a posse efetiva dos terrenos”, discursou o prefeito ACM Neto.

Risco de queda de árvores é avaliada no Dique do Tororó

A Secretaria Municipal de Manutenção (Seman) realiza vistoria na estrutura, terreno e entorno das árvores que cercam o Dique do Tororó, no Centro de Salvador. A ação ocorre após uma equipe técnica da pasta remover um galho de quatro metros que se desprendeu de um Flamboyant com aproximadamente 50 anos, na manhã desta quinta-feira (6), por conta das chuvas que castigam a cidade. Devido ao incidente, uma das pistas da Avenida Presidente Costa e Silva foi parcialmente obstruída, complicando o trânsito na região entre 10h e 11h. Apesar do transtorno, não houve registro de vítimas.

Esta foi a décima árvore comprometida por conta das chuvas na cidade desde o início de 2017. A vistoria ocorre até o fim da tarde, acompanhada do serviço de poda em todo entorno do Dique. A previsão da Seman é recolher cerca de 5 toneladas de entulho resultante do serviço. Ao final da operação, que envolve cerca de 40 homens e cinco veículos, todo o material recolhido será encaminhado ao aterro sanitário da capital.

Codesal – Durante a temporada das chuvas, o risco de queda de árvores aumenta significativamente em Salvador, tornando a situação uma das solicitações mais frequentes feitas à Defesa Civil no período. Desde o início de 2017, a Codesal já recebeu 13 solicitações de emergência relacionadas a árvores caídas, cinco delas durante a Operação Chuva. As ações de controle são realizadas diariamente pela Seman. Em 2017, a secretaria já realizou cerca de 12 mil podas, com a intensificação dos trabalhos desde o mês de janeiro, numa média de quatro mil controles mensais. Com o início da Operação Chuva, a meta é chegar a cinco mil por mês.

O trabalho ocorre de forma sistemática a fim de garantir a circulação de pessoas e veículos na cidade, prevenindo o risco de que uma árvore em más condições estruturais tombe na via pública. Nos casos considerados irrecuperáveis, a medida adotada é a supressão do vegetal, cuja média anual registrada pela Seman desde o início da gestão é de 10 árvores erradicadas e mais de 126 mil unidades podadas.

“A raiz das árvores cresce acompanhando os galhos. Isso passa a ser um grande problema quando a presença do vegetal começa a interferir na iluminação, na segurança pública e nos imóveis ao redor. Dessa forma, é necessário o controle sistemático para garantir o bem-estar das pessoas, assim como a preservação dos bens públicos”, explica o secretário Marcílio Bastos (Seman). Outro agravante da falta de manutenção, segundo Bastos, seria a destruição do calçamento, do asfalto e das estruturas das construções pelo crescimento exagerado das raízes.

Controle – A poda é necessária para adequar o vegetal ao espaço urbano, eliminar riscos referentes a quedas de galhos secos e podres, além de pragas como a “Erva de passarinho”. Outro aspecto considerado refere-se à melhora do paisagismo urbano. A erradicação é realizada somente após vistoria de engenheiro agrônomo. Deve-se constatar risco iminente à integridade física das pessoas, do patrimônio publico e do patrimônio particular. Também é realizado o trabalho se forem verificados danos às redes de drenagem, saneamento e abastecimento de água, ou quando se constata estado fitossanitário comprometido.

Da totalidade de árvores erradicadas em Salvador, cerca de 80% se encontram em encostas e áreas de risco, sendo compostas de espécimes invasoras como Ficus, Gameleira, Imbaúba e Mamoneira. Estas árvores estão, em sua maioria, na região central e histórica da cidade, danificando e degradando o patrimônio histórico e cultural com risco de queda sobre pessoas, casas e vias de trafego. Fonte: Secom/PMS

Trabalho preventivo da Prefeitura surte efeito em dia de chuva na cidade

Em apenas seis horas de quinta-feira (30), na capital baiana, o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec) registrou 86,08 mm de chuva na região de Mirantes de Periperi, no Subúrbio Ferroviário. Essa foi a área mais atingida na cidade. Mesmo com o alto índice de chuvas, os pontos de alagamento se dissiparam logo que a precipitação diminuiu, mostrando que o trabalho preventivo da Prefeitura com a desobstrução de canais e de bueiros surtiu efeito.

“Tivemos um grande volume de chuva em pouco tempo e com esse índice realmente teríamos pontos de retenção de água, mas a situação logo voltou à normalidade. A previsão é que o tempo permaneça instável até amanhã e no sábado comece a melhorar”, disse o diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Gustavo Ferraz.

Resultado de imagem para  chuva em salvador

Não apenas a Codesal, mas todos os órgãos do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC) permanecem de plantão durante 24 horas para atender as demandas com mais celeridade. O objetivo é buscar a perfeição nos atendimentos e em toda as ações voltadas para reduzir os estragos feitos pela chuva.

Para isso, foram investidos R$ 46 milhões em obras de contenção de encosta em áreas de risco na cidade. Um exemplo foi a inauguração da contenção de encosta no Barro Branco, na Avenida San Martin, que a Prefeitura entregou, ontem (29), dia do aniversário de Salvador.

A previsão de chuvas para o mês de março, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), era de 150,6mm. Até agora, choveu durante todo o mês 151,6mm, ou seja, dentro do normal esperado. Fonte: Secom/PMS.