Geólogos reforçam ações de Defesa Civil

Texto: Michelle Oliveira

 Fotos: Aline Portela

(Sob a supervisão dos jornalistas Cláudio Bandeira e Cleidiana Ramos – Ascom/Codesal)

Aline Portela

O geólogo Paulo Lima em ação no bairro de Periperi

As ações da Defesa Civil de Salvador (Codesal) estão cada vez mais focadas na prevenção de acidentes. Com o objetivo de evitar desastres relacionados à chuva, a equipe do órgão é interdisciplinar, ou seja, conta com a presença de profissionais de áreas variadas como os geólogos, que têm o seu dia comemorado hoje, 30. São eles  que realizam o monitoramento e mapeamento do solo e auxiliam a identificar pontos que podem resultar em  ocorrências graves como os deslizamentos de terra.

Marcelo Oliveira, geólogo do Setor de Análise do Clima da Codesal, considera o trabalho de prevenção de extrema importância para Salvador . “É um trabalho extremamente gratificante. Trabalhar na Defesa Civil é buscar salvar vidas, evitar que desastres aconteçam”, disse.

“Nosso trabalho nos permite sugerir intervenções possíveis para minimizar as condições de risco em determinada área, evitando danos à comunidade”, afirma Paulo Lima, geólogo do Setor de Monitoramento de Riscos em Encostas. Paulo explica que o trabalho dos geólogos na Codesal é muito específico, ligado ao risco geológico, diferentemente do trabalho em zona rural, no qual se busca encontrar e preservar reservas minerais. “O grande desafio aqui é a geologia urbana, onde a quantidade de casas dificulta um pouco a visão do ambiente. Na área rural, é mais fácil estudar as estruturas e o relevo”.

Trabalho coletivo–  Os geólogos destacaram a importância da colaboração de outros setores e da comunidade no trabalho de prevenção. “Trabalhamos com a comunidade para identificar locais de deslizamento ou se há problemas com a estrutura das casas, por exemplo. A presença dos assistentes sociais na comunidade é fundamental. Além disso, os estudos geológicos são combinados com estudos meteorológicos e de engenharia”, destaca Paulo.

“A comunidade pode contribuir com o nosso trabalho, porque além da ocupação desordenada, as intervenções, como descarte de lixo e drenagem da água utilizada, interferem no solo. O trabalho de conscientização nas comunidades ajuda muito nas nossas atividades”, completa Marcelo.

Aline Portela

Marcelo Oliveira é um dos responsáveis pela emissão de boletins diários com alerta de riscos

Diferentes formas de atuação– Paulo e Marcelo são de setores diferentes na Codesal e utilizam os conhecimentos de geologia de forma distinta. No setor de monitoramento, Marcelo relaciona dados da meteorologia com informações sobre o solo, como as características dos terrenos de Salvador, e emite um boletim diário para os coordenadores alertando sobre o risco de acidentes e o estado no qual a cidade se encontra. Esses dados reforçam o Plano de Proteção e Defesa Civil (PPDC), que orienta as ações da Codesal de uma forma mais ampla.

Através do mapa de suscetibilidade, que indica pontos de risco na cidade, Paulo verifica encostas, estudando o relevo, se há cobertura vegetal, habitação construída de forma inadequada e intervenções como descarte de lixo. “Com o aumento das chuvas, quando o solo vai se tornando mais encharcado, tudo isso contribui para que o terreno perca a coesão e possa provocar um deslizamento”, explica Paulo.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=uo5LZqVmuOI]

Simulados reforçam integração comunitária

O grupo formado por Adélia Bacelar,  Zanon O´dweyer e Givanildo da Paixão comemora satisfeito os resultados positivos do simulado de evacuação para casos de alerta máximo. Organizado pela Defesa Civil (Codesal) na Rua Mamede, em Alto da Terezinha, Subúrbio Ferroviário, a ação transcorreu com uma intensa participação da comunidade local no último sábado, 21.  Para o três, a atividade teve um sabor especial porque eles vieram da primeira região que recebeu esse ano uma atividade do tipo: Pedrão Ferrão, localidade que fica no limite entre a Liberdade e São Caetano.

“Já é o segundo simulado que participo, além do realizado em nossa comunidade. Esse tipo de interação com outra localidades tem sido muito positiva, pois estamos descobrindo que a outra pode ter um problema parecido ou muito maior que o nosso. A união ajuda a solucionar tudo muito mais rápido com essa troca de experiência”, disse Zanon O´dweyer, que foi um dos primeiros moradores de Pedro Ferrão a responder ao convite dos técnicos da Codesal para formar o Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil local (NUPDEC).
A partir dos núcleos, os moradores são mobilizados para participar das ações preventivas e educativas, realizadas pela Codesal. “A capacitação transforma membros das comunidades em agentes da Defesa Civil. Eles se tornam os ‘olhos’ da Codesal nessas áreas”, explica a subcoordenadora de ações comunitárias e educativas da Codesal, Rita Moraes.
Além das ações preventivas, o trabalho de mobilização realizado pela Defesa Civil tem ajudado na organização das comunidades de forma mais ampla. A criação de uma associação de moradores em Pedro Ferrão é um exemplo desses resultados mais abrangentes.
“Queremos agora fazer uma parceria com as associações de outros bairros para que possamos ficar ainda mais fortes na busca por melhorar as nossas comunidades”, aponta Adélia Bacelar, presidente da Associação dos Moradores de Pedro Ferrão.
Mobilização- Na fase inicial dos NUPDECs, os moradores participam de um período de formação onde aprendem sobre a estrutura da Codesal, primeiros socorros, educação ambiental, percepção de riscos, dentre outros temas. Na organização de cada simulado, eles também atuam como voluntários, inclusive se deslocando para os realizados em outras regiões.
“Tem sido muito bom participar desde a formação dos núcleos e também do simulado, que é um momento muito especial porque a gente exercita muitas das coisas que aprendemos nas palestras”, afirma Maria José de Araújo, 61 anos, presidente da Associação de Moradores de Bom Juá, integrante do Núcleo Comunitário que funciona no local e onde aconteceu o simulado anterior ao da Rua Mamede.

Técnicos da Codesal avaliam simulado em Mamede

A Subcoordenação de Ações Sociais e Educativas da Defesa Civil de Salvador – Codesal – realizou hoje (24) reunião de avaliação do simulado ocorrido no último dia 21 na comunidade de Mamede (Subúrbio Ferroviário).

O terceiro simulado promovido este ano foi avaliado de forma positiva pelos técnicos do órgão. A expectativa era que 180 moradores participassem, mas este número chegou a 260, festeja a subcoordenadora Rita Moraes, que elogiou a integração da equipe que coordenou as ações.

“O objetivo é mostrar como cada comunidade pode ser protagonista da sua própria segurança diante do risco de acidente”, disse.

“A comunidade de Mamede aprovou o simulado e tem elogiado o trabalho educativo desenvolvido pela Defesa Civil”, afirmou o técnico em edificações da Codesal, Aguinaldo Mescena, que realiza inspeções periódicas em área de risco.

Objetivo

A finalidade da ação é orientar a comunidade a deixar áreas de risco quando os índices pluviométricos apontem para a possibilidade de deslizamento de terra e acidentes mais graves, como soterramentos.

O estado de alerta máximo exige a adoção do Plano de Evacuação que consiste em apontar as rotas seguras para deslocamento das pessoas até o local que irá servir de abrigo.

 

Técnicos da Defesa Civil de Salvador durante a reunião na manhã de hoje (24)

Continuar lendo

Localização com GPS é a novidade no simulado de Mamede

A comunicação digital via rádio com a localização das pessoas no terreno, assim como os seus deslocamentos, foi a grande novidade do simulado de evacuação realizado pela Defesa Civil de Salvador (Codesal), nesse sábado (21) na Rua Mamede, no Alto da Terezinha, Subúrbio Ferroviário com a participação de pelo menos 200 pessoas. O evento tem como objetivo orientar os cidadãos a deixarem as residências de forma rápida e segura.

Com a novidade as equipes de apoio e atendimento podem ser localizadas em qualquer área através de rádios com GPS, o que facilita a ação. “Pelo PC ou pelo celular é possível esse acompanhamento. Assim quando as pessoas chegarem ao centro de apoio já recebem todo o atendimento necessário. Se tiver alguma dificuldade de locomoção por exemplo podemos nos antecipar a apartir do momento em que recebemos essa informação da equipe de apoio que está em campo”, explica o coordenador de TI Reginaldo Araújo.

Simulado realizado pela Codesal na comunidade de Mamede, no Subúrbio Ferroviário

“Realizamos atividades de caráter preventivo durante todo o ano, ininterruptamente. É um trabalho de fundamental importância para que possamos preservar a vida dos cidadãos”, explica o diretor-geral da Codesal, Alvaro da Silveira Filho. De acordo com ele, o órgão atua a intenção é realizar simulados em outras comunidades da capital baiana. “Queremos atingir toda a cidade e principalmente as áreas de risco”.
O subprefeito do Subúrbio Ferroviário, Sosthenes Macedo, também destaca a importância do evento. “Aqui pudemos ver na prática, a necessidade de algo nessa ordem. Temos um relevo bem específico na região, o que aumenta a necessidade de atenção como o que está acontecendo pelas equipes da Prefeitura”.

Passo-a-passo – Logo depois das 9 horas, a sirene do Sistema de Alerta e Alarme soou simulando a necessidade dos moradores deixarem as residências. Eles foram orientados por equipes da Codesal a seguirem pelas rotas mais seguras até o abrigo na Escola Municipal Santa Tereza.
Na escola, a população fez o cadastro social e recebeu lanche, além de medir a pressão arterial e a glicemia. A depender do resultado receberam atendimento médico e foram orientados e se dirigirem para a unidade de saúde mais próxima. Um dentista explicou sobre saúde bucal e orientou sobre a maneira correta da escovação, que podia ser ser feita num escovódromo instalado no local.
Os participantes do simulado também assistiram a palestra sobre assistência social e abrigamento, feita pela assistente social da Codesal, Marizete Moitinho. O objetivo do órgão é fazer com que a situação seja a mais real possível.
“Com isso podemos saber como agir e para onde ir em caso de acidentes e ajudar também nossos familiares e amigos. Estão de parabéns. Deve acontecer mais vezes e em outros locais”, destaca o pintor jatista Elioder de Oliveira dos Santos. Ele e mais sete pessoas da família participaram da atividade. Mamede é a terceira comunidade e receber o simulado este ano. O evento já aconteceu em Pedro Ferrão e Bom Juá.

Assista ao vídeo que registra o início do simulado quando sirenes dão o alarme para a população iniciar a evacuação das áreas que estariam em risco de sofrer deslizamento de terra:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=A8mSxXBnQj0]

Codesal realiza módulo do PDCE sobre primeiros socorros

Desde o início da Operação Chuva 2016, a Defesa Civil capacita comunidades que vivem em áreas de encostas com noções básicas de percepção de risco, educação ambiental e primeiros socorros.

Integrante dessas ações, o Projeto de Defesa Civil nas Escolas (PDCE)  realizou hoje (19) o segundo encontro no Centro de Referência do Parque São Bartolomeu, em Pirajá,  quando foi apresentado o  módulo sobre primeiros socorros em situações de emergências.

As instruções foram passadas por integrantes do corpo de bombeiros para que a população possa agir de forma apropriada no auxílio às vítimas até o acesso ao atendimento especializado.

“Esses encontros estão divididos em módulos quando fornecemos subsídios para que os gestores e professores possam preparar seus alunos para atuar como agentes de informação. É dessa forma que podemos ampliar a circulação dos conhecimentos
sobre as nossas ações preventivas”, explica Milton Nascimento, chefe do setor de ações educativas da Codesal.

O próximo módulo tratará da percepção de risco.

Codesal faz visita técnica para realização de simulado

Técnicos da Codesal realizaram, ontem, em Mamede (Alto da Terezinha), o reconhecimento da área que vai receber o Simulado de Evacuação. O exercício utilizado em casos de alerta máximo – quando é necessário desocupar uma região de risco – acontecerá no próximo sábado, 21.

Durante a visita, os moradores da comunidade receberam as últimas orientações sobre os procedimentos do simulado, além de ter sido afixada a sinalização das casas que estão envolvidas no exercício. A limpeza dos terrenos do entorno também foi realizada.

Além da Codesal, estarão participando do simulado outros órgãos da prefeitura como Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Secretaria Municipal de Promoção Social (Semps), Ouvidoria e prefeitura-bairro. A Universidade Federal da Bahia (Ufba), parceira da Codesal em projetos de Defesa Civil, também estará presente.

Codesal realiza simulado de evacuação na comunidade de Mamede

A comunidade de Mamede ( bairro Alto da Terezinha) participa, no próximo sábado, 21, do simulado de evacuação a ser realizado pela Defesa Civil de Salvador (Codesal). A simulação tem como objetivo preparar a população para uma situação de emergência relacionada a chuva como deslizamento e alagamentos. Hoje (17) foi realizada reunião na sede da Codesal na qual foram apresentados os detalhes da operação.

Além da Codesal, também participaram do evento, a Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Serviço de atendimento Móvel de Urgência (Samu), Secretaria Municipal de Promoção Social (Semps), Ouvidoria, Prefeitura-bairro e a Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Imagens da reunião relizada hoje (17) na sede da Defesa Civil

“A iniciativa integra as ações preventivas da Nova Codesal. É a terceira comunidade que participa do simulado este ano, mas pretendemos levar para outras áreas da cidade, assim conseguimos minimizar e até evitar os acidentes”, destaca o diretor-geral da Codesal, Alvaro da Silveira Filho.

No decorrer do exercício, a população das áreas de risco é convidada a deixar suas residências e se dirigirem para a Escola Municipal nas proximidades, onde são recebidos por profissionais de serviço social que prestam apoio, simulando uma situação real.

 

Palestra aborda a percepção de risco na Baixa de Santa Rita

A comunidade da Baixa de Santa Rita assistiu, na segunda-feira (16), palestra sobre percepção de risco, apresentada pela subcoordenadora de ações sociais e educativas da Defesa Civil (Codesal), Rita Moraes.

O objetivo é ampliar a percepção de risco de adolescentes e adultos frente aos desastres ocasionados por fenômenos naturais e pela ação humana, tendo como propósito a redução da vulnerabilidade social frente aos desastres.

Com o propósito de contribuir para a formação de cidadãos conscientes dos riscos existentes e da importância de ações simples para a redução das vulnerabilidades socioambientais, essa palestras incluem conteúdos específicos sobre percepção de risco e prevenção de desastres, causados por fenômenos naturais, como inundações, deslizamentos de terras, entre outros.

Codesal inicia nova edição do PDCE

Com os módulos sobre organização institucional e educação ambiental, a edição 2016 do Projeto Defesa Civil nas Escolas (PDCE) foi lançada hoje, 12, no Centro de Referência do Parque São Bartolomeu, localizado em Pirajá. Gestores, coordenadores pedagógicos e professores participaram das atividades de formação que tem como objetivo ampliar a rede de multiplicadores das ações preventivas desenvolvidas pela Codesal.

“Esses encontros são divididos em módulos onde fornecemos subsídios para que os gestores e professores possam preparar seus alunos para atuar como agentes de informação.  É dessa forma que podemos ampliar a circulação dos conhecimentos sobre as nossas ações preventivas”, explica Milton Nascimento, chefe do setor de ações educativas da Codesal. Veja mais detalhes neste video:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=op8A88hI2Wk]

 

Durante as oficinas realizadas, hoje, foram apresentados temas como histórico da defesa civil no Brasil, com destaque para Salvador, o funcionamento da política nacional para a área, além do projeto de reestruturação da Codesal. Os próximos módulos serão sobre primeiros socorros e identificação de riscos.

Nos tópicos sobre educação ambiental, ganharam destaque as questões relacionadas ao meio-ambiente, o correto descarte de resíduos e os riscos de não tratar o lixo da forma mais adequada e segura.

“Se conseguirmos mobilizar os alunos, com certeza, vamos fazer com que eles levem essas informações para os seus pais. Eu percebo isso no dia-a-dia da sala de aula quando trabalho com temas que estão mais próximos da realidade deles”, destacou Célia Carla Lima Silva, coordenadora pedagógica da Escola Municipal Santa Terezinha. A instituição está localizada no Alto de Santa Terezinha.

Essa proximidade de trabalhar com temas que estão muito próximos da rotina dos alunos é essencial em trabalhos como o PDCE, na avaliação de Marcos Antonio Santos, coordenador pedagógico e vice-diretor da Escola Municipal Esther Félix da Silva, situada em Fazenda Coutos III.

“Muitos dos nossos alunos vivem em áreas de risco. Saber trabalhar com essas questões é importante, pois eles se reconhecem na proposta. É assim que podemos encontrar soluções”, completa.

 

Codesal busca voluntários para intensificar ações preventivas

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) mantém um Programa de Voluntariado, criado para ser mais um instrumento na prevenção de riscos durante os períodos de chuva. A ação visa capacitar os cidadãos para apoiar ações de defesa civil. Segundo a analista de comunicação social da Codesal, Simone Café, qualquer pessoa interesada pode participar.

“Após a inscrição no site, as pessoas receberão um email de confirmação. Selecionaremos os perfis e criaremos grupos para realizar as capacitações”. Um banco de voluntários será criado e os chamados serão realizados de acordo com a disponibilidade de horário dos voluntários.

O voluntário realizará suas atividades com base e em conformidade com a Lei Federal n° 9.608, de 18 de fevereiro de 1998, não gerando vínculo empregatício nem remuneração de qualquer tipo, devendo, para tanto, assinar o Termo de Adesão ao Serviço Voluntário.

O programa irá atuar em duas frentes: prevenção de riscos, com ações de mobilização, atividades educativas e vistorias técnicas, e resposta a desastres, com atendimento em emergências e elaboração de pareceres técnicos.

As inscrições para o Programa de Voluntariado da Codesal podem ser feitas através do site http://codesal.salvador.ba.gov.br/voluntario/cadastro.php

Para mais informações, acesse: http://codesal.salvador.ba.gov.br/images/pdf/Programa-de-Voluntariado.pdf  Voluntarios